Archive for Setembro, 2009

h1

Ulysses is going to kick some ass…

21 de Setembro de 2009

“[…]
Mas agora é o momento de lhes prepararmos uma refeição,
enquanto ainda há luz; e depois disso o divertimento será
com o canto e com a lira, os melhores companheiros do festim”

Assim falou; e com as sobrancelhas fez um sinal.
Na espada afiada agarrou Telémaco, o filho amado
do divino Ulisses, e pegou na lança. Depois postou-se
junto do trono do pai, armado com o bronze faiscante.

HOMERO
s/d Odisseia; ed. ut. Lisboa, Biblioteca Editores Independentes, trad. Frederico Lourenço, 2008, 350-351.

Impressionante a tensão que um dos primeiros livros da literatura ocidental consegue criar.

h1

Se Numa Noite de Inverno Um Viajante começa assim

17 de Setembro de 2009

Estás para começar a ler o novo romance Se Numa Noite de Inverno Um Viajante de Italo Calvino.

Acaba assim:

É só mais um instante. Estou mesmo a acabar Se Numa Noite de Inverno Um Viajante de Italo Calvino.

E pelo meio tem shitloads de génio.

CALVINO, Italo
1979 Se una notte d’inverno un viaggiatore; ed. ut.: Se Numa Noite de Inverno Um Viajante, Público, Porto, 2002, 218.

h1

às vezes fico a pensar que é assim que o gonçalo m. tavares lê os livros que lê

17 de Setembro de 2009

Não se admire de me ver sempre a vaguear com os olhos. De facto é esta a minha maneira de ler, e só assim a leitura me é proveitosa. Se um livro me interessar realmente, não consigo segui-lo mais de poucas linhas porque a minha mente, captando um pensamento que o texto lhe propõe, ou um sentimento, ou uma interrogação, ou uma imagem, faz-lhe uma tangente e salta de pensamento em pensamento, de imagem em imagem, num itinerário de raciocínios e fantasias que precisa de percorrer até ao fim, afastando-me da leitura, e de uma leitura suculenta, embora só consiga ler de cada livro poucas páginas. Mas essas poucas páginas para mim já encerram o universo inteiro, de que não consigo ver o fundo.

CALVINO, Italo
1979 Se una notte d’inverno un viaggiatore; ed. ut.: Se Numa Noite de Inverno Um Viajante, Público, Porto, 2002, 218.

h1

Dúvida

16 de Setembro de 2009

Não sei se vou mesmo conseguir ler ou se só vai servir para aumentar a biblioteca. Quem já leu o Ulysses em inglês, que atire a primeira pedra.

and Yes I said yes I will Yes.

JOYCE, James
1922 Ulysses; ed. ut.: [s/d], London, Penguin, 2000 [reimpressão], 933.

h1

Crises de um leitor compulsivo #3

16 de Setembro de 2009

Chegou-me hoje à caixa do correio uma das maiores (maiores as in greatness) obras da literatura moderna. Custou-me oito euros e vejo que agora está ainda mais barata. Oito euros por quase mil páginas de texto, reconhecidamente excelente texto. Ocorre-me: quanto vai custar a edição portuguesa de 2666, de Roberto Bolaño?

h1

Wishful thinking

15 de Setembro de 2009

Por baixo de «pirateado» estava à espera de encontrar as expressões «albarroado» ou «mandado borda fora».

Uma pequena tentativa de humor. Também sou filho de deus.
h1

Crítica no Rascunho

14 de Setembro de 2009

A Lua e as Fogueiras, de Cesare Pavese.