Posts Tagged ‘Senhor’

h1

Correcção

6 de Outubro de 2009

Apenas uma nota a este post do Senhor Palomar: não faço lobby por Roth. A criar pressão por algum dos nobilizáveis seria, certamente, por Pynchon, que me é mais familiar. A minha aposta é somente racional. Roth é muito mais consensual do que Pynchon. Que o digam o Hélder Beja e o Pedro Vieira, o Rogério Casanova e eu próprio.

Anúncios
h1

Palomar muda-se e Mexia tem casa nova

1 de Setembro de 2009

O Senhor Palomar já tinha vindo a anunciar: a casa nova abriu, finalmente, aqui. Já Pedro Mexia não avisou ninguém e declarou Lei Seca aqui. Boas notícias dadas pelo Carlos Vaz Marques.

h1

Golding e o mal

17 de Agosto de 2009

Ao que parece, os diários de William Golding, autor de Lord of the Flies (O Deus das Moscas, na tradução portuguesa), revelam que tentou violar uma rapariga durante a adolescência.

Ler mais no Guardian e no The Independent.

Via Senhor Palomar e Irmão Lúcia.

h1

A esta hora já toda a gente sabe

18 de Julho de 2009

que a Quetzal vai editar 2666, de Roberto Bolaño. De tal forma que já nem sei por onde descobri a notícia primeiro. Mas ao que parece, o primeiro a falar nisso foi o Senhor Palomar, corrijam-me se estiver enganado. E, admito, estou invejoso. Ainda não recebi nenhum mail da Quetzal sobre isto.

h1

A Casa Nova do Senhor Walser

26 de Junho de 2009

Gonçalo M. Tavares estará hoje no Auditório Infante D. Henrique, na APDL, pelas 18.30, para a conferência “A Casa Nova do Senhor Walser”, inserida no ciclo de Conferências da Casa da Arquitectura. A entrada é livre mas aconselha-se a reserva de lugares pelo e-mail info@casadaarquitectura.pt

Eu vou estar lá.

h1

philip roth em entrevista

24 de Junho de 2009

Philip Roth em entrevista à revista Ñ.

Uma dica do Senhor Palomar.

h1

agradecimento #5

23 de Junho de 2009

Ao incansável Senhor Palomar, agradeço a divulgação do novo endereço do Livros [s]em Critério. Aproveito, já que nele falo, para lhe dar os parabéns pelo excelente trabalho que tem vindo a realizar. Em pouco tempo tornou-se num dos insdispensáveis.